quarta-feira, 25 de abril de 2012

Impressões da Viagem III - As pessoas


* - Mariana infelizmente não visitamos Ville de Québec. Decidimos focar em Montréal e ter um melhor conhecimento da cidade.
** - Tânia, que bom que você gostou do post! Obrigado pela visita!
*** - Sympathique não sei se conseguirei escrever 10 posts sobre a viagem, mas vamos ver quantos vão sair. Obrigado pela visita!
**** - Carolina que bom que você gostou do post! Obrigado pela visita!
***** - Carol e Dorival que legal vocês terem gostado! Fiquem à vontade para participar mais.

Pois bem, o que dizer sobre as pessoas??
Para início de conversa, acho que em Montréal, só tivemos contato com uns 4 quebecois!!
Sim. Montréal é uma cidade pluricultural onde o que mais se vê são pessoas oriundas de outros países e culturas. Montréal, tá gente, não o Québec todo.
Desses 4 quebecois que nós talvez tenhamos tido contato, 2 com certeza foram na YMCA. Então no dia-a-dia, foram só 2!
Na maioria dos locais que fomos, fomos atendidos por imigrantes. O que de certa forma é bom, pois eles “entendem” nossa dificuldade com o idioma e por isso são muito pacientes e prestativos. São sempre muito simpáticos.
No geral, imigrantes ou não, as pessoas são muito educadas, gentis, atenciosas e prestativas.
Se você entra no ônibus e pede informação ao motorista ele diz que vai te avisar quando chegar o local que você precisa, e avisa. Aliás com motoristas de ônibus vimos uma cena interessante.
Quando estávamos voltando para o Brasil, resolvemos pegar o ônibus 747 na estação Berri UQAM, no ponto inicial, deste ônibus que leva ao aeroporto. Entrou um senhorzinho com uma mala e o motorista o orientou a colocar a mala no “porta malas”, vendo a dificuldade do senhor em movimentar-se com a tal mala, o motorista saiu lá da frente e veio até o senhor, pegou a mala, colocou-a em cima, ao que o senhor falou que por ter dores no braço não podia deixar mala no lugar alto que o motorista deixou. O motorista perguntou para ele se ele iria até o aeroporto, quando ele disse que ia, o motorista então disse: “o senhor pode deixar, chegando lá eu pego sua mala de volta, fique tranqüilo”.
Em quinze dias de Canadá, só podemos dizer que não tivemos desapontamentos com as pessoas. Tivemos um único “mal trato”, mas que não foi lá grande coisa.

Nas lojas.
Eu imaginava que comprar seria um tanto difícil, pois imaginava que seria como no Paraguai, lá se você perguntar o preço de duas coisas e não comprar nenhuma, é possível ser xingado pelo vendedor ou mesmo ele não responder suas perguntas.
Não foi assim, em todos os lugares os vendedores são solícitos, respondem as perguntas, se esforçam para te compreender, oferecem informações em outros idiomas, tentam de tudo para “fazer negócio”. Teve uma loja, a DANIER, que nós fomos lá escolher um casaco para uma amiga que tinha pedido. A esposa experimentou uma meia dúzia de casacos, fizemos uma verdadeira montanha de roupas, quando eu fui recolocar no cabide a vendedora, toda prestativa, não permitiu, disse que eu não deveria me preocupar, que ela arrumaria tudo.
Quando dizíamos: “estamos só olhando”, a resposta era: “fique à vontade, estou aqui para te ajudar, se precisar, estou aqui” .... Eu sei que no Brasil em muitos lugares temos esse tipo de atendimento também.

Os brasileiros
Mesmo antes de sairmos do Brasil, já tínhamos feito contato com alguns “conhecidos” de blogs e redes sociais (LinkedIn/Facebook), então fizemos uma agenda de visitas e rendez-vous (encontros). Foi muito, muito legal, além de proveitoso! Tanto em Montréal como em Ottawa.
Conhecemos e fizemos novos amigos, que nos receberam com alegria e disposição de ajudar. Nos deram muitas dicas e conselhos. Inclusive, queremos, mais uma vez agradecer à acolhida que todos lá do Canadá nos deram!! Obrigado pessoal!!

Hábitos
Sou um leitor assíduo de outros blogs e por isso já tinha lido sobre alguns costumes diferentes.
Como por exemplo: as pessoas não se importam com o que as outras pessoas pensam sobre elas e por isso é fácil encontrar gente vestida das mais variadas e estranhas formas possíveis (quer dizer, para o nosso padrão de vestimenta);
No supermercado, usam-se pequenos bastões para dividir as compras de cada cliente. Mesmo que você tenha um item só na esteira, o próximo que vier atrás de vocês usará esse bastão para separar as compras.
As pessoas “gostam” de ajudar, de ser úteis. Vou contar três episódios que nos marcaram:
- tínhamos acabado de chegar na cidade, estávamos andando pelo centro com mala e tudo, entramos num edifício que tem ligação com a Garre Central (Estação Central) eu desci a escada com uma mala e passei por um senhor que vinha subindo, ao chegar no topo ele encontrou a esposa que me esperava para levar a outra mala. O senhor “tomou” a mala dela e levou a mala até embaixo, se despediu e foi-se embora ... assim, simples e cortês;
- nesse mesmo dia, chegamos a uma esquina, paramos, olhamos pra esquerda, olhamos para a direita .... um senhor atravessou a rua para nos oferecer ajuda!!! Ele nos viu, supôs que estávamos “pedidos” e estávamos, e foi nos ajudar .... assim, simples e cortês;
- outro dia entramos no metrô havia um lugar disponível num banco de dois lugares e um outro lugar em outro banco, a esposa sentou-se no banco de dois lugares e eu fiquei em pé ao lado dela, o jovem que estava sentado ao lado dela, viu que somos um casal, cutucou a esposa e pulou pro banco separado indicando que sentássemos juntos ... assim, simples e cortês;


Bem acho que já deu pra ver que gostamos das pessoas, de suas maneiras e hábitos. É claro que há muito mais coisas e pequenos detalhes, mas não dá pra relatar tudo ... ia ficar um post espada: longo e chato!

Ahhhhhh já ia esquecendo: as pessoas lêem muito! Em todo lugar, no ônibus, no metrô, nas praças, no elevador e até andando ....

É isso aí pessoal!

Acho que o próximo será sobre comida!!

À la prochaine!!



P.S.: Nessa viagem tivemos certeza de que os nossos amados, queridos e preciosos amigos nos farão muuuuuita falta quando mudarmos!! R, H, I, F, W, J, L, G, S, E, V, B, R, N, C, D, F, D,  Nós amamos vocês!!

P.S. do P.S.: - Estão vendo essas propagandas do Google aí em baixo??!! Se vocês puderem fazer a gentileza clicar aí ... basta clicar e fechar em seguida (se quiser) o Sr. Google diz que me dará um din-din se forem muitos cliques. :D sorrisão:D sorrisão:D sorrisão:D sorrisão:D sorrisão:D sorrisão:D sorrisão:D sorrisão:D sorrisão:D sorrisão:D sorrisão:D sorrisão:D sorrisão:D sorrisão:D sorrisão:D sorrisão:D sorrisão

7 comentários:

  1. Adorei o post... Relata o q já imaginamos e conhecemos s/ o Canadá.
    Fico muito feliz e realizada de estar no caminho certo, perseguindo um projeto tão gigantesco e qu muitas das vezes, só compreendido por bem poucos.
    Abçss

    ResponderExcluir
  2. Tania, Faço minhas as suas palavras... Para nós que estamos caminhando no processo nos dá mais forças para não desistir! Embora tenhamos escolhido a princípio Ville de Québec, algumas pessoas me falaram que lá é assim! Então Cleuber continue com seus posts! Estamos adorando!!! ehehehehe E já voltou as aulas??

    Bises!

    ResponderExcluir
  3. Educação é fundamental, né?! Ficamos com mais vontade de partir :)

    abç,
    Carol

    ResponderExcluir
  4. Sinto muito se voce teve um pessimo atendimento em Ciudad del Este, mas o Paraguay nao é só Ciudad del Este e nao sao tos iguais.

    ResponderExcluir
  5. Cleuber otimo post! A educaçao e o respeito do povo canadense é um fator que ajuda em muito nossa adaptaçao quando chegarmos lá. Abs

    ResponderExcluir
  6. Vocês fizeram curso aonde? Poderiam falar sobre a escola, onde ficaram, como foi o processo para toda a viagem? Eu e o marido queremos fazer uma viagem de prospecção com estudo (provavelmente francês) no ano que vem e queríamos mais detalhes de quem fez o mesmo.

    ResponderExcluir